quarta-feira, 21 de setembro de 2016

9ª Feira do Livro começa em Feira de Santana em grande estilo



Mesa de abertura (ao centro o magnifico reitor Evandro do Nascimento)



Após todo período de organização, arrumação e desafios vencidos foi dada a largada para o maior festival cultural de Feira de Santana, a Feira do Livro, nesta terça-feira, 20 de setembro, na praça do fórum.  Com foco na formação de leitores e feitores da arte literária do fascinante mundo do saber, a Feira, teve a abertura oficial marcada por falas emocionadas, como também, uma rica programação artística em diversas linguagens.
 

A primeira intervenção foi o hino nacional brasileiro interpretado ao vivo pela cantora Marcia Porto, acompanhada dos músicos, Mano Gavazza no violão e Rogério Ferrer na sanfona, dando um brilho todo especial ao momento.  



Sarau de Quintal

A apresentação cultural de abertura contou com o show intimista do projeto, Sarau de Quintal, composto por Marcia Porto (voz), Mano Gavazza (Voz e Violão), Lucas Galvão (declamações poéticas), misturando música e poesia num clima de jam e acolhimento, o qual, foi iniciado pelo clássico brasileiro, “Luar do Sertão”, imortalizado na voz do eterno Rei do Baião, Luiz Gonzaga.
 

Como convidado de honra, a Feira do Livro contou com a presença do cantor e compositor feirense, Carlos Pitta, que entoou o Hino à Feira e contou a história de resgate deste símbolo identitário municipal, a partir da composição original da musicista e compositora Georgina de Mello Lima Erisman,  a qual teve partitura escrita pelo musicista orientador de Georgina, Tertuliano Ferreira.




Carlos Pitta

Antes da apresentação oficial, Carlos Pitta, fez um breve discurso no qual relatou se sentir honrado pelo palco musical da Feira do Livro ser batizado com o nome dele nesta edição, e completou trazendo uma surpresa à Universidade Estadual de Feira de Santana, presenteando-a com a música “A canção do semiárido para uma Universidade” e apresentada em primeira mão, a obra que tem letra e arranjos compostos por Carlos Pitta. Na gravação apresentada a interpretação e voz ficou por conta da cantora baiana Aiace Félix (Grupo Sertanília) e a execução do piano a cargo do renomado maestro baiano Alfredo Moura. “Esse é um presente que eu tô dando à UEFS que é a Universidade do meu coração, da minha terra,” expressou Pitta.


Fonte: Pautart - Comunicação e Entretenimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário